Segunda-feira, 7 de Maio de 2012

 

Chama-se Storify e, como o nome indica, o objetivo desta plataforma é ajudar os utilizadores a contar histórias na era das redes sociais.

 

A startup, lançada em 2010 na versão beta e com acesso limitado a apenas alguns membros, alargou-se ao público em geral em abril de 2011 e, segundo o seu co-fundador, Burt Herman, atualmente já é utilizada por 22 dos 25 maiores sites noticiosos dos EUA. Números a que se juntam marcas de peso, como a Dell, General Electric, IBM, Adobe, Virgin America ou a Samsung.

 

Mas o que é, afinal, que torna o Storify, ferramenta ainda pouco conhecida entre nós, tão atraente?

 

Basicamente, a plataforma permite agregar, de forma muito simples, todo o tipo de conteúdos sobre um tópico, apresentando os resultados de uma forma muito clean e fácil de consumir. “O Storify deixa-te gerir as redes sociais de modo a construir histórias sociais, reunindo os media espalhados pela Web para desenvolver uma narrativa coerente. Estamos a construir a camada da história sobre as redes sociais, para amplificar as vozes que interessam e criar um novo formato de media que é interativo, dinâmico e social”, explica o site.

 

 

Por outras palavras, o que o Storify faz é possibilitar que vídeos, imagens, tweets e outros conteúdos sobre um mesmo tema se combinem, de modo a construir uma história digital o mais completa possível. Mas “uma história Storify é mais que uma simples coleção de elementos dos media sociais. É também a tua oportunidade de dar um sentido àquilo que reuniste. Podes escrever uma manchete, uma introdução e inserir texto em qualquer espaço da tua história. Podes acrescentar cabeçalhos, hyperlinks e texto formatado. Constrói uma narrativa e proporciona um contexto aos teus leitores”.

 

 

Outra vantagem do Storify é que as histórias construídas nesta plataforma podem ser incorporadas em qualquer lugar. A isto, junta-se o seu potencial viral, já que a plataforma torna muito simples notificar todas as pessoas que são citadas na história: “estes links têm uma altíssima probabilidade de serem partilhados nas redes sociais e gerarem uma resposta”.

 

O objetivo do Storify, agora, é capitalizar o seu crescente número de leitores: para isso, a plataforma anunciou que irá aumentar a capacidade que os leitores têm de comentar ou partilhar os elementos dentro de uma história Storify em várias redes sociais, incluindo Twitter, Facebook, Pinterest, LinkedIn e Google+, bem como através de email.

 

 

 

Fontes: Adweek



publicado por blatitudes às 11:38 | link do post | comentar

Links

Site Oficial
Latitudes - Comunicação Integrada de Marketing

Redes Sociais

twitter facebook delicious flickr
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29


Os últimos blá blás

Ao cyberbullying, os estu...

Comunicação cara a cara c...

Laina: a nova sensação do...

Facebook testa novo forma...

Instagram lança perfis na...

W+K lança série de desafi...

Samsung reafirma lideranç...

As piores passwords de 20...

Quase 9 em cada 10 imagen...

Facebook lança páginas gl...

arquivos

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

tags

todas as tags

Networked Blogs
blogs SAPO
Google Analitycs
subscrever feeds