Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012

 

 

Parece o enredo de um filme de ficção científica mas é a mais pura verdade: segundo conta o The Guardian, a publicidade tem um novo aliado, cada vez mais popular, que permite “ler” os pensamentos alheios.

 

Ao melhor estilo de Hollywood, grandes companhias como a Google, Facebook e ITV estão a virar as suas atenções para o “neuromarketing”, que, apoiado pelas recentes tecnologias médicas, tem como objetivo ajudar a desenvolver precisamente aquilo de que os consumidores mais gostam. Como? Lendo-lhes os pensamentos.

 

Até agora, as companhias de publicidade recorriam, normalmente, aos grupos focais para perceber de que forma as pessoas reagiam a determinadas campanhas. Mas a fiabilidade deste método tem, claro, as suas falhas: “infelizmente para os publicitários, algumas pessoas não dizem a verdade”. Só que, ao contrário do que se passa com a nossa boca, é muito mais difícil levar o nosso cérebro a mentir.

 

AK Pradeep, um pioneiro do neuromarketing e diretor da NeuroFocus, explicou ao The Guardian como tudo funciona. “Pomos um aparelho na cabeça que mede os impulsos cerebrais. Medimos todas as partes do cérebro, continuamente. Segundo a segundo, medimos os níveis de atenção. Percebemos quais as emoções que estão a experienciar e que memórias estão a memorizar.”A tecnologia utilizada pelo neuromarketing é basicamente a mesma a que os hospitais recorrem quando precisam de detetar um cancro.

 

Na NeuroFocus, já existe um sistema bem definido no que toca à utilização do neuromarketing, nomeadamente uma escala de avaliação das emoções dos espetadores face a um anúncio, de 1 a 10, e que permite fazer recomendações específicas aos publicitários.

Mas a NeuroFocus, que já trabalhou com gigantes como a Google, Microsoft, Intel, Facebook, PayPal, Hewlett-Packard e Citigroup, não está sozinha na leitura dos pensamentos dos consumidores. Como ela, a Neurosense, fundada por uma neurologista da Universidade de Oxford, Gemma Calvert, também tem apostado neste novo e incrível mercado.

 

Calvert já fez algumas descobertas interessantes, através da monitorização do fluxo sanguíneo em diferentes partes do cérebro. Por exemplo, a neurologista concluiu que os consumidores estão mais recetivos a publicidade logo pela manhã e, agora,  estão "a tentar descobrir que aspetos das imagens [nos anúncios publicitários] têm maior efeito na classificação – e como podemos tornar [as marcas] mais desejáveis”.

 

E se tudo isto ainda lhe parece uma realidade distante, os números dizem outra coisa. Segundo estima Duncan Stewart, diretor de pesquisa tecnológica da Deloitte, mais de 10% dos anúncios transmitidos no horário nobre da televisão britânica terão sido desenvolvidos com recurso a técnicas de neuromarketing. Na verdade, esta tecnologia já tem vindo a ser usada desde 2006, mas só em 2009/2010 se tornou mais comum. Com um crescimento incrível, hoje em dia o neuromarketing já é usado na televisão, filmes, publicidade e media sociais.

 

Mas, enquanto a indústria vibra com o seu novo brinquedo, há muitos consumidores que lhe apontam o dedo, acusando-a de falta de limites e de ser muito pouco ética. Terá ido o marketing longe demais?

 

 

Fontes: The Guardian



publicado por blatitudes às 11:43 | link do post | comentar

Links

Site Oficial
Latitudes - Comunicação Integrada de Marketing

Redes Sociais

twitter facebook delicious flickr
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29


Os últimos blá blás

Ao cyberbullying, os estu...

Comunicação cara a cara c...

Laina: a nova sensação do...

Facebook testa novo forma...

Instagram lança perfis na...

W+K lança série de desafi...

Samsung reafirma lideranç...

As piores passwords de 20...

Quase 9 em cada 10 imagen...

Facebook lança páginas gl...

arquivos

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

tags

todas as tags

Networked Blogs
blogs SAPO
Google Analitycs
subscrever feeds