Terça-feira, 31 de Janeiro de 2012

Um casal prestes a beijar-se: parece-lhe uma imagem chocante? E se o casal for composto por dois homens?

 



O Metropolitano de Lisboa parece achar que sim, já que recusou exibir, nas suas estações, as imagens publicitárias da rede social Manhunt, direcionada para o público masculino homossexual, justificando a sua decisão com o facto de não querer “ferir suscetibilidades”.

 

Iúri Vilar, o responsável em Portugal pela Manhunt, entrou pela primeira vez em contacto com a MOP (Multimedia Outdoors Portugal), que gere a publicidade no ML, há cerca de um ano. Com 60 mil utilizadores no nosso país, e um total de 6 milhões de utilizadores em todo o mundo, a rede pretendia conquistar novos membros e “atingir as pessoas que ainda estão no armário”.


Em outubro, foi asseando um contrato com a MOP que ditava que a Manhunt teria 15 múpis nas estações do Rato, Saldanha, Picoas, Marquês do Pombal, Cais do Sodré e Restauradores, mas a campanha que deveria iniciar em dezembro nunca chegou a ser colocadas nas estações do ML. Isto porque o ML não aprovou nenhum dos dois cartazes enviados pela Manhunt, argumentando que “os temas de teor sexual não estão autorizados nas redes”.


A primeira imagem recusada mostrava um casal prestes a beijar-se; já o segundo cartaz, enviado após a reprovação do primeiro, exibia dois homens, vestindo t-shirts, e um deles com o braço sobre os ombros do outro – também este recusado pelos motivos citados.

As imagens, iguais às que estão em cidades dos EUA e Rio de Janeiro, nunca causaram “nenhum problema”, explicou o responsável da Manhunt em Portugal, acusando o ML de “discriminação e homofobia”.

 


Mas o ML não aceita as acusações, afirmando que se trata de uma crítica “totalmente infundada”: “sempre que se coloque a dúvida de que a natureza dos produtos ou serviços em causa ou o teor da mensagem de uma campanha publicitária possam ferir suscetibilidades, é opção do ML não aceitar a divulgação da mesma na sua rede, independentemente da orientação sexual do respetivo público-alvo”.


Agora, a Manhunt pretende ver devolvido o pagamento embora, segundo Iúri Vilar, seja cada vez mais difícil falar com a MOP.


Resta ver de que forma o público vai reagir à notícia que está neste momento a começar a espalhar-se nas redes sociais. 

 

 

Fonte: P3 (Público)



publicado por blatitudes às 12:18 | link do post | comentar

Links

Site Oficial
Latitudes - Comunicação Integrada de Marketing

Redes Sociais

twitter facebook delicious flickr
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29


Os últimos blá blás

Ao cyberbullying, os estu...

Comunicação cara a cara c...

Laina: a nova sensação do...

Facebook testa novo forma...

Instagram lança perfis na...

W+K lança série de desafi...

Samsung reafirma lideranç...

As piores passwords de 20...

Quase 9 em cada 10 imagen...

Facebook lança páginas gl...

arquivos

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

tags

todas as tags

Networked Blogs
blogs SAPO
Google Analitycs
subscrever feeds